Sobre





Olá!
O meu nome é Patrícia, tenho 27 anos e esta é a história de como me tornei 
uma apaixonada pela cozinha vegetariana :) 

A culinária sempre me fascinou. Desde pequena que me lembro de gostar de folhear livros com receitas, ver programas de culinária na televisão e ajudar a minha mãe a fazer bolos e sobremesas. Comecei a perceber que este gosto era mais sério quando, há uns anos atrás, fui à Feira do Livro em Lisboa com a ideia de comprar livros dos meus autores favoritos e livros sobre farmácia (área onde sou formada) e vim carregada de livros de culinária! 
Nessa altura ainda vivia em casa dos meus pais, não seguia uma dieta vegetariana e sabia cozinhar o básico dos básicos, sendo as minhas especialidades omeletes e bolo de bolacha! 

Mais tarde eu e o Filipe, o meu namorado, amigo e companheiro de sempre, decidimos juntar os trapinhos. Ainda estava muito verde nas lides da cozinha mas lá fui eu para a minha nova casa, com um caixote cheio de livros (entretanto a colecção aumentou) e revistas de culinária, enquanto a minha mãe estava cheia de medo que morrêssemos à fome.

Três coisas se decidiram quando fomos morar juntos: eu cozinhava, ele lavava a loiça e na nossa casa não entrava carne. Assim começava a nossa incursão pelo vegetarianismo, e mais tarde veganismo, um caminho que o Filipe já tinha em mente há muito tempo e que eu, inspirada por ele, também sigo. (O livro "Comer Animais" de Jonathan Safran Foer também teve grande influência!)
Primeiro deixámos a carne e mais tarde o peixe. Uns meses depois o Filipe deixou o leite, os derivados e os ovos e a partir daí adoptámos uma alimentação 100% vegetal cá em casa. Eu ainda fui consumidora de lacticínios, fora de casa, durante algum tempo, mas desde o início de 2014 que isso acabou e actualmente sou totalmente vegetariana.

O vegetarianismo levou-me a esta grande paixão pela cozinha! Tenho vontade de aprender sempre mais, de descobrir novas receitas e novos truques para tornar a nossa alimentação o mais variada possível e por isso adoro perder-me em livros, revistas, blogues e programas sobre culinária.

Penso que o estilo de vida vegetariano, especialmente a vertente vegan, é muitas vezes mal compreendido. Essa foi a principal razão pela qual quis criar este blog, para mostrar que o que comemos não vem de Marte, que as nossas receitas podem ser deliciosas e que respeitar a vida animal e o planeta em que vivemos não é assim tão difícil e deixa-nos um enorme sentimento de dever cumprido. 
Porque afinal, há melhor coisa do que viver uma vida cheia de prazeres e livre de culpa?  


Este será um espaço onde partilharei as minhas receitas favoritas e as nossas opções vegan no dia-à-dia. Será também a minha inspiração para finalmente dar o passo que me falta em direcção ao veganismo: abolir da minha alimentação os derivados animais! --> FEITO! :)


Sejam muito bem-vindos e espero que pelo caminho, mais alguém se inspire!

5 comentários:

  1. E cá te encontrei :) Já te estou a seguir girl.. quando quiseres combinamos um Martim roud trip :) kiss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Marmita, gostei muito de te conhecer! E quanto ao Martim Moniz incrivelmente é uma zona de Lisboa desconhecida para mim, bem preciso de alguém que me guie ;) beijinho*

      Eliminar
  2. Olá Patricía e parabéns! O blog é mesmo uma inspiração e conhecer a caminhada da Patricía até ao veganismos é inspirador. Começei pela a abulição da carne e mais recentemente pelo peixe e agora na redução do ovo embora de galinhas criadas em quinta e ao ar livre, mas o queijo uuuuiii esse fica dificíl. Procuro os de leite biológico bem como o leite que apenas uso no Kéfir, no entanto é o que está mais dificíl abandonar. Alguma sugestão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anita, muito obrigada, fico muito feliz com as suas palavras e peço desculpa responder tão tarde mas como esta página do blog já não está activa (agora o blog está em www.notguiltypleasure.com, pode seguir e comentar por lá) só vi a sua mensagem agora!
      O queijo é realmente dificil, porque é extremamente viciante! Foi a última coisa que deixei e foi a que mais me custou. O que fiz foi deixar aos poucos, deixei de comer em casa, comia só fora e houve um dia, já não comia há muito tempo, deicidi que aquela ia ser a última refeição com queijo. Comi uns cannelones rechedos com queijo e mais queijo ainda por cima. O meu corpo, já desabituado à lactose reagiu mal e fiquei muito maldisposta. Foi a última vez que comi. Entretanto fui sabendo mais sobre a industria dos lacticinios e sobre a forma como esses são produzidos e deixei de conseguir ver o queijo, assim como todos os outros produtos origem animal, como alimentos. Assim que se faz o click na nossa cabeça, é muito fácil rejeitar certos comportamentos, neste caso deixar de comer certas coisas, porque já não faz sentido!
      Se a transição custar muito ainda assim, há marcas boas para ajudar. Recomendo muito a Wilmersburger, à venda na loja on-line Fair-Fair, que tem, para mim, os melhores queijos vegetais que já provei!
      Espero ter ajudado! :)

      Eliminar
  3. Também tens um blog cheio de ideias veganas aqui: thebrunettetofu.blogspot.pt

    Beijinho, adorei conhecer o teu!

    ResponderEliminar